DNA

DNA (está o máximo)

O INGLÊS, O AMERICANO E O PORTUGUÊS…

Diz o inglês:
– Tivemos um fulano que foi atropelado e a única coisa intacta que tínhamos era o seu dedo mindinho.
Pois, a nossa equipa conseguiu, pelo DNA refazer a mão, um novo braço, um novo corpo!
O paciente ficou tão capacitado que ao ter alta, tirou o emprego de cinco pessoas!

– Isso não é nada! – Diz o americano:
Nós tivemos o caso de um operário que caiu no reactor atómico de uma central nuclear!
A única coisa que sobrou dele foi um cabelo. Pois pelo DNA dele conseguimos reconstituir completamente todo o seu corpo.
Depois de ter alta, esse paciente mostrou-se tão eficiente que cinquenta pessoas perderam o emprego!

O português pede a palavra:
– O caso que vou contar é muito mais interessante:
Um dia em que eu estava a andar pelo hospital senti o cheiro dum peido.
Imediatamente, capturei-o num saco que levei até ao laboratório.
Chamei a minha equipe e começamos a trabalhar.
Primeiro, a partir do peido, fizemos um ânus, em seguida reconstituímos o intestino, e depois, pouco a pouco, todo o corpo e por fim o cérebro.
O projecto desta criatura foi chamado Passos Coelho e está a ter um desempenho tão fantástico que milhares de pessoas estão no desemprego.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *