Má Gestão – Case Study 3

Má Gestão – Case Study 3
 
Um rapaz vai a uma farmácia e diz ao farmacêutico:
ð Senhor dê-me um preservativo. A minha namorada convidou-me para ir jantar esta noite lá a casa, já saímos há três meses, a pobre começa a estar muito quente e parece-me que me vai pedir para lhe pôr o ‘termómetro’.
 
O farmacêutico dá-lhe o preservativo e o jovem sai da farmácia. De imediato, volta a entrar, dizendo:
ð Senhor, é melhor dar-me outro, porque a irmã da minha namorada, é uma boazona de primeira, passa a vida a cruzar as pernas à minha frente que às vezes até lhe vejo as entranhas. Acho que também quer algo e como vou jantar hoje lá a casa…
 
O farmacêutico dá-lhe o preservativo e o jovem sai da farmácia. De novo, volta a entrar, dizendo:
ð Senhor, é melhor dar-me outro, porque a mãe da minha namorada também é boa como o milho. A velha, quando a filha não está ao pé, passa a vida a insinuar-se dum modo que me deixa atrapalhado, e como eu hoje vou jantar lá a casa…
 
Chega a hora da comida e o rapaz está sentado à mesa com a sua namorada ao lado, a mãe e a irmã à frente.
 
Nesse instante entra o pai da namorada e senta-se também à mesa. O rapaz, baixa imediatamente a cabeça, une as mãos e começa a rezar:
ð Senhor, abençoa estes alimentos, bzzzz, bzzzz, bzzzz,…damos-te graças por estes alimentos.
 
Passa um minuto e o rapaz continua de cabeça baixa rezando:
ð Obrigado Senhor por estes dons, bzzz, bzzz, bzzz….
 
Passam cinco minutos e prossegue:
ð Abençoa Senhor este pão, bzzz, bzzz, bzzz…
 
Passam mais de dez minutos e o rapaz continua de cabeça baixa rezando.
 
Todos se entreolham surpreendidos e a namorada diz-lhe ao ouvido:
 
ð Meu amor, não sabia que eras tão crente!
 
ð E eu não sabia que o teu pai era farmacêutico!
 
Conclusão:
 
Não comente os planos estratégicos da empresa com desconhecidos,
porque essa inconfidência pode destruir a sua própria organização.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *