Tambem da k pensar “cinco lições como tratar as pessoas”

*CINCO LIÇÕES SOBRE COMO TRATAR AS PESSOAS* ****

****

*1 – Primeira lição importante – Senhora da limpeza**

Durante o meu segundo ano no ensino superior, o nosso professor deu-nos um
teste. *****

*Eu era um aluno consciente e respondi rapidamente a todas as questões até
ler a última:

“Qual é o nome da mulher que faz a limpeza na escola?”
Isto só podia ser uma brincadeira. Eu tinha visto a mulher da limpeza
inúmeras vezes.* ****

*Ela era alta, cabelo escuro, à volta dos 50 anos, mas como poderia eu saber
o nome dela?
Eu entreguei o meu teste, deixando em branco a última questão. Mesmo antes
da aula terminar, um dos estudantes perguntou se a última questão contava
para nota.

“Absolutamente,” respondeu o professor. “Nas vossas carreiras irão encontrar
muitas pessoas. Todas são significativas. Elas merecem a vossa atenção e
cuidado, mesmo que tudo o que vocês façam seja sorrir e dizer ‘olá’.”

Nunca esquecerei aquela lição. Também aprendi que o nome da senhora era
Dorothy.

2. – Segunda lição importante – Boleia na chuva

Uma noite, pelas 11:30 p.m., uma mulher de origem Africana, estava apeada
numa autoestrada do Alabama, a tentar aguentar uma valente chuva torrencial.
O carro dela tinha avariado e ela precisava desesperadamente de uma boleia.

Completamente encharcada, ela decidiu fazer stop ao carro que se aproximava.
Um jovem, branco, decidiu ajudá-la, apesar de isto ser uma attitude de
bravado naqueles dias de racismo (década de 60). O homem levou-a até um
lugar seguro, ajudou-a a resolver a sua situação e arranjou-lhe um taxi.

Ela parecia estar com muita pressa, mas mesmo assim tomou nota da morada do
jovem e agradeceu-lhe. *****

*Uma semana mais tarde batiam à porta do jovem. Para sua surpresa, uma
televisão de ecrãn panorâmico era-lhe entregue à porta. Um cartão de
agradecimento acompanhava a televisão.* ****

*
Dizia:
“Muito obrigado por me ajudar na autoestrada na outra noite. A chuva não só
encharcou a minha roupa, como o meu espírito. Foi então que você apareceu.
Por causa de si consegui chegar ao meu marido antes de ele falecer. Que Deus
o abençoe por me ter ajudado e ter servido outros de maneira tão altruísta.
Com sinceredidade,
Mrs. Nat King Cole.”

3 – Terceira lição importante – Lembra-te sempre daqueles que servem* ****

*
Nos dias em que um gelado custava muito menos do que hoje, um rapazinho de
10 anos entrou no café de um hotel e sentou-se a uma mesa. Uma empregada de
mesa trouxe-lhe um copo de água.* ****

*
“Quanto custa um gelado de taça?” perguntou o rapazinho.
“Cinquenta cêntimos,” respondeu a empregada.

O rapazinho tirou do bolso uma mão cheia de moedas e contou-as.
“Bem, quanto custa um gelado simples?” perguntou ele.* ****

*A esta altura já mais pessoas estavam à espera de uma mesa e a empregada
começava a ficar impaciente.* ****

*
“Trinta e cinco cêntimos,” respondeu ela com brusquidão.

O rapazinho contou novamente as suas moedas.* ****

*
“Vou querer o gelado simples.” Respondeu ele.

A empregada trouxe o gelado, colocou a conta encima da mesa, recebeu o
dinheiro do rapazinho e afastou-se. *****

*O rapazinho terminou o seu gelado e foi-se embora.* ****

*Quando a empregada foi levantar a mesa começou a chorar. Encima da mesa,
colocado delicadamente ao lado da conta, estavam 3 moedas de cinco
cêntimos…

Não sei se está a ver, ele não podia comer o gelado cremoso porque queria
ter dinheiro suficiente para deixar uma gorjeta à empregada.* ****

*
4 – Quarta lição importante – O obstáculo no nosso caminho* ****

*
Em tempos antigos, um rei mandou colocar um enorme pedregulho num caminho.
Depois escondeu-se e ficou a ver se alguém retirava a enorme pedra. Alguns
dos comerciantes mais ricos do Rei passaram e simplesmente se afastaram da
pedra, contornando-a. Alguns culpavam em alta voz o Rei por não manter os
caminhos limpos. Mas nenhum fez nada para afastar a pedra do caminho.* ****

*
Apareceu então um camponês, carregando um molho de vegetais. Ao aproximar-se
do pedregulho, o camponês colocou o seu fardo no solo e tentou deslocar a
pedra para a berma do caminho. Depois de muito empurrar, finalmente
conseguiu. O camponês voltou a colocar os vegetais ás costas e só depois
reparou num porta-moedas no sitio onde antes estivera a enorme pedra.* ****

*
O porta-moedas continha muitas moedas de ouro e uma nota a explicar que o
ouro era para aquele que retirasse a pedra do caminho. O camponês aprendeu
aquilo que muitos de nós nunca compreendem!

Cada obstáculo apresenta uma oportunidade para melhorar a nossa situação.* *
***

*
5 – Quinta lição importante – Dar quando conta* ****

*
Muitos anos atrás, quando eu trabalhava como voluntário num hospital,
conheci uma pequena menina chamada Liz, que sofria de uma doença rara e
muito grave. A sua única hipótese de salvamento parecia ser uma transfusão
de sangue do irmão mais novo, de cinco anos, que já tinha tido o mesmo
problema e sobrevivido milagrosamente, desenvolvendo anticorpos necessários
para a combater. O médico explicou-lhe a situação da irmã e peguntou-lhe se
ele estaria disponível para dar o seu sangue à sua irmã.

Eu vi-o a hesitar por uns instantes, antes de respirar fundo e dizer “sim,
eu faço-o se isso a salvar.”
À medida que a transfusão ía correndo, ele mantinha-se deitado ao lado da
sua irmã, sorrindo. Todos nós sorríamos, vendo a cor a regressar à face da
menina. Foi então que o menino começou a ficar pálido e o seu sorriso a
desaparecer.

Ele olhou para o médico e perguntou-lhe, com a voz a tremer, “Será que eu
começo a morrer já?”.

Sendo muito jovem, o menino não compreendeu o médico; ele pensou que teria
que dar todo o seu sangué à irmã para a poder salvar.* ****

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *