A velhinha

Um jovem estava a fazer compras no supermercado, quando notou que uma velhinha o seguia para todo o lado. Se ele parava, ela parava e ficava a olhar para ele.

No fim, já na caixa, ela atreveu-se a falar com ele, e disse:

– Espero que não o tenha feito sentir-se incomodado, mas é que você parece-se muito com o meu filho que faleceu.

O jovem, com um nó na garganta, respondeu que estava tudo bem, que não havia problema.

A velhinha então, disse-lhe:

– Quero lhe pedir algo incomum.

O jovem respondeu-lhe:

– Diga-me em que posso ajudá-la.

– Queria que você me dissesse “Adeus, mãe” quando eu me for embora do supermercado. Isso faria-me muito feliz!

O jovem, sabendo que seria um gesto que encheria de alegria o coração da velhinha, aceitou.

Então, a velhinha passou pela caixa, após ter registado as suas muitas compras. Aí, voltou-se sorrindo e, agitando a mão, disse:

– Adeus, filho!

Ele, cheio de amor e ternura, respondeu-lhe efusivamente:

– Adeus, mãe!

Ela foi-se embora e o jovem ficou contente e satisfeito pois, de certeza, tinha-lhe dado um pouco de alegria.

– São 125,50€ – disse-lhe a rapariga da caixa.

– Porquê tanto, se só levo estes 5 produtos?

E a rapariga da caixa disse-lhe:

– Sim, mas a sua mãe disse que você pagaria as compras dela também…

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *